(19) 9 8187 9851
contato@gazetaitapirense.com.br 

  • Orgulho-de-ser-itapirense
(19) 9 8187 9851
contato@gazetaitapirense.com.br 
  • 16/11/2020

Prefeito eleito terá maioria na Câmara, que renovou 40%

O prefeito eleito Toninho Bellini, não deverá ter dificuldades para assegurar uma maioria confortável na Câmara Municipal. Sua coligação elegeu seis das 10 cadeiras de vereador.

Pela segunda vez consecutiva, a vereadora Beth Manoel (PSL) consegue a maior votação entre todos os candidatos, obtendo 2.859 votos (519 a menos do que em 2016). Na segunda colocação, outra presença feminina, a ativista da causa animal Maísa Fernandes (PSD), que obteve 1.758 votos. Em 2016 ela conseguiu 594 votos, insuficientes para garantir uma cadeira.

O terceiro mais votado foi Leandro Sartori, que com 1.518 votos, leva o PSOL pela primeira vez a ter representatividade na Câmara Municipal. Em 2016 Sartori havia recebido expressivos 962 votos e só não se elegeu porque o PSOL não obteve à época o quociente eleitoral. O quarto mais votado, com 1.239 votos, foi Carlinhos Sartori (PSDB) que emenda seu quinto mandato consecutivo. Na eleição de 2016 ele teve 1.556 votos. Seu colega de partido e atual presidente da Câmara, Luan Rostirolla obteve 1.122 votos (831, em 2016).

Na sexta posição aparece André Siqueira (PSL) com 977 votos, ele que em 2016 teve seu nome lembrado por 661 eleitores. Com a 7ª maior votação (809 votos) aparece o resiliente César da Farmácia (PSD), que consegue um terceiro mandato consecutivo, contra a maioria das apostas, já que é considerado um parlamentar de atuação opaca. Em 2016, César teve 960 votos. Logo depois uma surpresa, Carlos Donisete Briza (PP) que teve 802 votos (272 em 2016). Com base eleitoral em Barão Ataliba Nogueira, desbancou o atual vereador Toninho Marangoni.

PSOL terá pela primeira vez representatividade na Câmara com a eleição de Leandro Sartori

O 9º colocado foi o advogado Fábio Galvão (PSD), que obteve 772 votos, ele que assumiu a vaga do ex-vereador Dr. Rafael, depois que este renunciou ao cargo em 2018. Galvão teve em 2016, 545 votos. Fecha a relação outro “resiliente”, o vereador Mino Nicola (PSL), irmão do prefeito eleito, o qual, com 740 votos, volta para cumprir um quinto mandato consecutivo. Em 2016, ele teve 675 votos.

Renovação

A renovação na Câmara ficou na casa dos 40%. Não voltarão em 2021, Tiago Fontolan (não concorreu à reeleição), professora Marisol, Toninho Marangoni, Maurício Casimiro de Lima.

 

 

Últimas Notícias

Guia Comercial

error: