(19) 9 8187 9851
contato@gazetaitapirense.com.br 
(19) 9 8187 9851
contato@gazetaitapirense.com.br 
  • 01/05/2020

Pandemia interrompe tradicional disputa esportiva

Ao invés do burburinho causado pelas torcidas posicionadas na arquibancada, um silêncio sepulcral. Há exato um ano atrás o Ginásio de Esportes “Antônio Corazza”, no Centro Desportivo e de Lazer Hideraldo Luiz Bellini, recebia a abertura da 42ª edição dos Jogos dos Trabalhadores de Itapira, tradição que pela primeira vez na história será quebrada. “É uma pena. Tivemos que agir com base nas necessidades impostas pelo combate à pandemia”, comentou o atual secretário de Esportes e Lazer, Marcos Schmidt.

A edição do ano passado contou com 4 participantes: Cargil, Prefeitura/Saae, Fábrica de Papel e Papelão Nossa Senhora da Penha S/A e Laboratório Cristália, que ficou na primeira colocação. “Lamentavelmente não teremos a edição deste ano, mas por um bom motivo, para preservar a própria integridade das pessoas”, observou o engenheiro Wiliam Adriano Ferreira, 41, colaborador do Laboratório Cristália. Ele garante que os colegas ficaram chateados com o cancelamento. “O que a gente pode fazer e vamos fazer com certeza, será realizar um evento ainda melhor no ano que vem”, defendeu.

Um dos grandes entusiastas da competição, o professor de Educação Física Humberto Luchetti, 63, lembra que já houve edições dos jogos com 13 empresas. “A ideia de se promover um evento que homenageasse o trabalhador acabou se cristalizando ao longo dos anos. Tivemos edições memoráveis”, recordou. Luchetti revela que em fevereiro já haviam sido iniciadas as primeiras conversas com representantes das empresas. “Não deu tempo, a pandemia interrompeu tudo”.

Luchetti: continuidade dos jogos vai depender da disposição das empresas

Indagado se não imagina que o fato dos jogos terem sido suspensos neste ano possa representar uma pá de cal em sua realização, já pensando em 2021, Luchetti avalia que tudo vai depender do poder de articulação entre o poder público municipal e as empresas. “O que tenho observado ao longo destes anos todos é que a realização dos jogos é diretamente vinculada ao cenário de momento vivido pelas diversas empresas”, considerou.

O deputado estadual José Antônio Barros Munhoz foi outro que lamentou bastante a interrupção dos Jogos dos Trabalhadores. Foi ele quem criou os Jogos em 1977, no ano inaugural do seu primeiro de três mandatos de prefeito que exerceu ao longo de sua longeva carreira política.  “Foi mais um castigo”, disse em referência aos estragos que a pandemia tem causado em todos os setores da sociedade.

“Foi um evento que ao longo dos anos foi se consolidando, com a realização de Jogos memoráveis nas diversas gestões de companheiros nossos, homenageando os trabalhadores, um congraçamento muito bonito de se ver, que envolvia toda a comunidade. Uma pena realmente que não seja realizado neste ano”, completou Munhoz.

Munhoz lamentou a interrupção de um evento por ele criado

 

 

 

 

 

Últimas Notícias

Guia Comercial